domingo, 27 de agosto de 2017

Errar é humano, perdoar é ...



Que belas palavras, que bela frase, que belo conceito! Como é fácil ler e repetir esta ideia... mas sabemos valorizar de verdade a máxima:

“errar é humano”... ?

Pensem, meus queridos e queridas, quantas vezes nós erramos durante nossa vida; quase sempre, involuntariamente, verdade seja dita.

Mas erramos; e com isto, prejudicamos, não somente aos outros, senão a nós mesmos, muitas e muitas vezes. Em seguida surge a verdadeira questão:

“perdoar é divino”

Eu me pergunto: não será também humano, o perdão ? Este, concedido entre nós, criaturas terrenas? Pois se todos somos falíveis, não podemos, humildemente, trocar entre nós este lindo sentimento? O perdão...

Gostaria de dizer-lhes, leitores e leitoras:

Errar é humano, mas perdoar-nos mutuamente é GLORIOSO.


 
Beijos e até a próxima!

Nida


NIDA DEL GUERRA FERIOLI (96 anos) é Conciliadora e Mediadora de Conflitos (formada em 2014);  Professora de italiano; Autora dos livros “Vivendo a Vida” e "Le Ricordanze" . Colunista do “Papos de Anjo”, na página literária Boca a Penas (BAP).
É mãe de Eliane, avó de Marcello e Valeria e bisavó de Thais e Maitê.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Desafios da vida... qual a escolha?



Como se apresenta orgulhosamente desafiadora a nossa vivência, em determinadas épocas. Saber como viver é uma arte.

Como agir? Devo me entregar às intempéries da vida com resignação? Ou devo lutar bravamente para ultrapassar este difícil momento?

Penso, medito, procuro preencher meu ser com o verdadeiro amor à vida e aos meus semelhantes. A vida é para ser vivida e, por isso, devemos lutar bravamente!

Para que saibamos viver bem, devemos aceitar tudo o que ela nos proporciona: de bom e de mau. A sabedoria  está em deixar que todos os momentos nos fortifiquem e assim consigamos  ver e sentir que sempre haverá algo belo e brilhante para nos iluminar - mesmo nos momentos difíceis da nossa jornada.

Concluo então que jamais devemos dizer: “coitada de mim”;  ao contrário, devemos pensar sempre “sou feliz”.

Sou feliz  vendo e sentindo o calor de mais um dia que é o prognóstico de tantos outros que virão para fazer não só minha alegria mas sim a felicidade de todos  que por acaso estejam lendo  este meu texto sempre otimista.

Beijos! Aos meus queridos, a alegria  da... 


Nida

NIDA DEL GUERRA FERIOLI (96 anos) é Conciliadora e Mediadora de Conflitos (formada em 2014);  Professora de italiano; Autora dos livros “Vivendo a Vida” e "Le Ricordanze" . Colunista do “Papos de Anjo”, na página literária Boca a Penas (BAP).
É mãe de Eliane, avó de Marcello e Valeria e bisavó de Thais e Maitê.