terça-feira, 28 de março de 2017

Para ser feliz


Hoje eu gostaria de falar somente com os meus queridos amigos que já passaram dos 90 anos há algum tempo.

Que felicidade, digo eu, por estar podendo ainda transmitir “modestamente” as minhas opiniões e o meu modo de pensar.

E assim sendo, eu me pergunto: por que continuo vivendo cheia de esperança, trabalhando, procurando alegrar aqueles que me rodeiam, sempre pronta para ficar atualizada diante das coisas importantes da vida?

Eu seria muito pretensiosa se tivesse certeza da resposta a esta, para mim, tão interessante pergunta?... Talvez a resposta esteja com um médico ou com  uma pessoa mais espiritualizada, ou ainda, com um estudioso da filosofia... Mas deixa para lá! Vou ficar com a minha certeza: para ser feliz é preciso reconhecer o que somos: simplesmente pessoas que viram o tempo passar e aproveitaram dele (tempo) para viver muito bem o que passou. Para ser feliz, é preciso continuar vivendo e aproveitando os dias com as suas alegrias e tristezas, procurando realizar uma vida que nos proporcione satisfação interior e ao mesmo tempo agrade a todos que estão ao nosso lado.

E é isso, queridíssimos parceiros desta linda jornada: para obter isto tudo precisamos não desanimar ante os percalços da vida, mas enfrentá-lo,  mostrando a nossa força e a nossa coragem. Assim continuamos vivendo a vida com otimismo, certos de que amanhã será um novo dia.

Beijos e abraços da vossa contemporânea,


Nida


NIDA DEL GUERRA FERIOLI (96 anos) é Conciliadora e Mediadora de Conflitos (formada em 2014);  Professora de italiano; Autora dos livros “Vivendo a Vida” e "Le Ricordanze" . Colunista do “Papos de Anjo”, na página literária Boca a Penas (BAP).
É mãe de Eliane, avó de Marcello e Valeria e bisavó de Thais e Maitê.

Nenhum comentário:

Postar um comentário