quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

SELF-SERVICE

Impressões: Self no Cadafalso (Ed. Patuá, 2015)
de Edmilson Felipe



por Adriana Aneli


Self no Cadafalso (Patuá, 2015) é um livro simples. Como seu título propõe, é um instantâneo do desespero diário, a fé no segundo seguinte, que de antemão sabemos fatal.

Mas Self no Cadafalso não é um livro simples. Autorretrato de uma geração que tem pressa, mas que se perde em infinitas imagens – históricas e vazias – de si mesma: um ovo rosa-choque entalado na goela/e um arco-íris no peito clamando por um chope/.../sem colarinho. Nossa solidão, solidária.

Self no Cadafalso então é um livro simples. Intimida a si mesmo até proclamar a autoliberdade e o faz despejando autor e leitor na voz impiedosa do labirinto urbano: sem mapa da mina ou sorte do realejo.

Não: Self no Cadafalso não é um livro simples. Antropofágico, deglute, rumina até nos empurrar para a dolorosa consciência de que a vida, na verdade, é – deveria ser – simples: porque o mundo já foi engraçado/Porém, não sabíamos rir.

Um flash de felicidade, às vezes, tarde demais.


LANÇAMENTO:  17 | 12| 2015 - às 19h


Patuscada Café & Livraria

na

Rua Luís Murat, 40 - Vila Madalena

Nenhum comentário:

Postar um comentário