quinta-feira, 16 de abril de 2015

LOUCURA NUMÉRICA

por Antonio Silva

CRÔNICA LIDA NA RADIO CITE GENÉVE, SUIÇA
PROGRAMA “PORTUGALIDADES”
“POSTAL DE PORTUGAL” Nº 441


 
Números e Constelações em Amor com Uma Mulher – Joan Miró

                               O mundo louco dos números....

                              Recentemente uma amiga me enviou um poema com o titulo “Revisão dos 14235 dias...”, exatamente os seus dias de vida, e nele coloca de dez em dez anos uma evolução, uma afinidade, e uma forma de encarar a sua vida. Quando acabei a leitura, quase automaticamente peguei no papel para verificar qual seria o número que encontraria comigo, porque na verdade nunca tinha pensado nesta vertente de quantificação de dias e encontrei quase um dobro daquele...

                          Neste  universo de  tempo  em  que  nos  materializamos,  em  que   opinamos, divergimos, guerreamos e amamos, interessante seria haver a possibilidade de analisar nessa amálgama de dias passados, quantos foram de felicidade e quantos de infelicidade, quantos de esperança e de desespero e quantos de lágrimas e sorrisos. Assim, seria verdadeiramente interessante  ficarmos a saber se a orientação que julgamos atribuir aos nossos dias, foi o melhor ou se o numero maioritário corresponde a componentes negativos, decerto contribuindo para muito do infortúnio de outros.

                         A matemática  e  a  vida sei que são coisas nada afins, mas agora que trouxe o assunto à minha NOTA ficou decerto a pensar que realmente também gostaria de saber como anda seu saldo de “qualidade verdadeira de vida”.

                            Mesmo com a disponibilidade de tempo que realmente talvez hoje possua não me seria difícil, doravante no termo de cada dia, analisá-lo e atribuir-lhe a tal conotação, mas será que vale a pena? Acho que não, até porque depois que interesse teria isso, se o dia final eu não o saberei jamais, e toda a inventariação qualificativa não serei eu a fazê-la...

                         Resta só adicionar que a minha amiga Adriana Aneli Costa Lagrasta fica como responsável espiritual desta crônica, que num dia de Primavera saiu num convite encapuçado de simplicidade, mas que de simplicidade não tem realmente nada....


___
*** o poema a que se refere a crônica é este aqui:

Revisão dos 14235 dias...

Aos 9, entre bonecas 
histórias em quadrinhos
vestindo sonhos, fantasias
aprendi que sorrir adeuses
aumenta a chance de um novo encontro

Aos 19, entre aulas de direito
burocráticos carimbos
brincando de ser mãe
aprendi a calar adeuses
por acreditar em reencontros

Aos 29, entre sustos
rompimentos
amor escapou pela janela
aprendi que chorar adeuses
não diminui a dor do desencontro

Aos 39, entre amigos
poemas
amor maduro me ensina
que não pensar em adeuses
é a grande alegria da vida.

Adriana Aneli, 39 anos


"Aneli revisited: a balada da badalada das 9"
José Jardim





 ___________________________
______________________

Antonio Silva é escritor e locutor na Radio Além Fronteiras, em Faro, Portugal


Nenhum comentário:

Postar um comentário